Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

1000 a.C. (747 a 727)

 

Ano 747 a.C. - As palavras que anunciam a agonia de Israel, o reino setentrional, são lapidares, sóbrias e desumanas. A morte de Jeroboão II constitui o último acto.

* Neste mesmo ano, fecha também os olhos o rei de Judá, Osias , o Leproso.

* Depois de curto tempo de anarquia. Manaem proclama-se rei de Samaria.


Ano 746 a.C.  -
Começo do reinado, do criador do Novo Império Mundial Assírio, Tiglatpilesar III.


Ano 745 a.C. - Subida ao trono Assírio de um antigo soldado de nome Ful , que passa a chamar-se Teglatfalaser III. Primeiro de uma série de tiranos brutais que fundam, por meio de conquistas, o maior Império do Mundo. Durante algum tempo Israel tem vindo a pagar aos Assírios para se livrarem dos tributos, e formando coligações com outros pequenos estados para estacar seu avanço. Mas, o cruel Teglat-Falasar III no trono Assírio, transforma sua belicosa raça numa nação de imperialistas e introduz uma política de deportação em massa para territórios conquistados.


Ano 740 a.C. - Os anais do rei assírio Teglat-Falasar III, registam: “Quanto a Menahem , rei de Israel, o terror o subjugou... ele escapou e se submeteu a mim... prata, trajes coloridos de algodão, roupagens de linho... eu recebi como seu tributo”.


Ano 734 a.C. - O rei assírio Teglat-Falasar III, irrompe até à costa, depois avança costa fora para o “Riacho do Egipto”. Toda a elite, os ricos, mercadores, artificies, soldados, são transportados para a Assíria e lá restabelecidos; em seu lugar são estabelecidos membros de tribo caldeus e aramaicos oriundos da Babilônia. Teglat avança para o interior. Acometido internamente por divisões religiosas e sociais, o reino setentrional de Israel não está em condições de resistir.


Ano 732 a.C. - O rei Assírio, Tiglatpilesar III, juntamente com Damasco (centro de resistência dos arameus na Síria), conquista o território compreendido entre o Tauro e o Líbano. As cidades comerciais ficam à mercê do assalto Assírio, o mesmo sucedendo com o reino Judaico que entretanto surge na Palestina. O Egipto também fica ameaçado. Tiglatpileser III, rei Assírio, arma-se e toma de assalto Gaza (a capital dos filisteus).


Ano 731 a.C. - Epaminondas, general tebano, põe fim à hegemonia militar de Leuctros. Até este ano Esparta tinha conseguido dominar toda a Grécia. Os espartanos foram praticamente invencíveis até este ano. Graças à sua educação inteiramente fundada no culto da força, apesar da fraqueza numérica dos seus exércitos, quase dominaram toda a Grécia durante séculos. Graças à ponta-de-lança das suas tropas de élite. Pesadamente equipados, cobertos de ferro e coiro, invencíveis e eficazes, não conheciam nem medo nem falta de coragem, mesmo que fossem uma centenas resistiam a um exército. Foram praticamente invencíveis durante meio milénio, até este fatal dia em que Leuctros perdeu as mãos por Epaminondas.


Ano 730 a.C. - Tefnakht, apesar de todas as reviravoltas, manteve seu poder íntegro e logo que Piankhi se afasta, aproveita a oportunidade e reconquista grande parte do Delta, subindo ao trono este ano, funda a XXIV dinastia.


Ano 729 a.C. -
A Babilónia e toda a sua região passam a pertencer à soberania Assíria. Os chefes de Assur vendo nesta cidade a mãe da cultura e da religião mesopotâmica, tratam-na com respeito e piedade e Tiglatipilasar III reúne na sua pessoa, os títulos de rei da Assíria e pulu (soberano) de Babilónia.

* Os gregos intentam alargar o seu domínio pelas terras onde a agricultura se mostra proveitosa, especialmente na viticultura, e a partir deste ano, os colonos gregos, fundam duas outras cidades, a sul de Naxos: Leontina e Catânia.


Ano 727 a.C. - Fim do reinado do rei Assírio, Tiglatpilesar III. Morre Teglat, seu sucessor é Salmanasar V.

 


Penso: indecisa

PublicadoPor lazulli às 11:25
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos
Sexta-feira, 22 de Junho de 2007

1000 a.C (842 a 748)


Ano 842 a.C. - Yaoua Jéhu, rei de Israel do país de Omri , inaugura uma nova política e tenta obter o apoio dos Assírios, contra o inimigo hereditário, o arameu de Damasco. Por isso, quando Salmanasar III (rei da Assíria) leva a cabo, este ano, uma nova campanha contra Damasco, Jéhu não só não envia tropas para apoiar Hazael, que é derrotado no monte Sanirn Antilíbano e obrigado a recuar até à sua capital, mas também faz chegar o seu tributo ao vencedor. Cena que Salmanasar faz representar num obelisco. Mas as esperanças de Jéhu não se concretizam.


Ano 841 a.C. - O eclipse deste ano, é como que um presságio negativo para a dinastia Chou (ou Zhou ) que governa. O rei Li é obrigado a fugir de um grande potentado senhorial, por motivo de uma insurreição no seu próprio território.


Ano 840 a.C. - Os amha’aretz, pessoas comuns da terra de Judá, fazem o seu primeiro aparecimento histórico, quando este ano, derrubam a despótica rainha-viúva, Atalia, que se tinha apoderado do trono e introduzido no Templo, a adoração a Baal .


Ano 839 a.C. - Nova expedição contra Damasco, realizada pela Assíria que, enfraquecida ou vendo-se a braços com problemas nas suas fronteiras, não volta a aparecer no Ocidente, durante mais de trinta anos. Logo que a maré de invasores se retira, Hazael fez pagar caro a Jéhu a sua defecção. Devasta o território de Israel; incendeia cidades, chacina jovens, esmaga as crianças, esventra mulheres grávidas. Jéhu perde toda a Transjordânia.


Ano 814 a.C. - Na costa setentrional da África, como colónia da cidade de Tiro, que domina o comércio no Mediterrânio, onde funda feitorias e colónias, os fenícios (tírios), fundão Cartago, principal (“cidade nova”) no norte de África. O poder comercial marítimo dos fenícios, que possuem colónias e pontos de apoio ao longo das costas do Mediterrânio, desde o mar Negro até ao estreito de Gibraltar é enorme. Os navegadores tírios (fenícios) vão buscar o estanho às ilhas Canárias e à Inglaterra.


Ano 800 a.C. - Os Assírios conquistam Damasco enfraquecendo assim o poder dos arameus, o que liberta Israel do seu inimigo capital.

Na Babilónia reina Semíramis, a maior rainha da Antiguidade, filha de Ataryatis, a deusa-peixe, e de Oanes, deus da sabedoria. Conquistou a maior parte do Médio Oriente e invadiu a índia. dizse que subiu ao ceu sob a forma de pombA.


Ano 773 a.C. - Salmanasar IV, empreende uma campanha contra Damasco; mas durante este período, os Assírios estiverão absorvidos nas suas lutas contra os Medos e, sobretudo, contra o poderoso reino dos chaldes do país de Ourarton (Ararat) isto é, da Arménia.


Ano 757 a.C. - Fundação de Naxos, na Sicília (costa oriental, não longe do estreito de Messina).


Ano 753 a.C. - A 21 de Abril, vinte e três anos depois do início da cronologia Grega, no Lácio, é fundada uma pequena cidade: Roma. Rómulo, o Fundador, o semi-divino, filho do deus Marte, designado pelos deuses para levar a cabo a fundação da cidade, acaba por ser levado aos céus onde passa a ser também um deus com o nome de Quirino, traça o sulco sagrado em volta do terreno onde se edifica a cidade de Roma.


Ano 748 a.C. - Fundação da cidade de Roma (Fábio Pictor, escritor romano).

Jeroboão II foi um soberano de Israel até este ano.

Penso: nada

PublicadoPor lazulli às 18:09
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos
Sexta-feira, 15 de Junho de 2007

1000 a.C (930 a 840)

 

 

Ano 930 a.C. - Morte súbita de Salomão.

 

Ano 926 a.C. - A morte e o fim do reinado de Salomão, provoca a divisão da monarquia Israelita e com ele baixa à sepultura a ilusão de Israel vir a ser uma grande potência. E baixa para sempre! A partir do momento em que Salomão fecha os olhos, acende-se de novo a velha discórdia que destruiu o Grande Estado compreendido no território, Síria/Palestina, como inevitável consequência da dissensão. Dois reinos formam-se em seu lugar: o reino de Israel ao norte e o reino de Judá ao sul.

 

Apesar disto, a última vontade de Salomão é cumprida; Roboão, seu filho, senta-se, ainda que por pouco tempo, no trono de Jerusalém como soberano de todas as tribos, porque Jeroboão, emigrante, regressa precipitadamente do Egipto, e faz-se coroar rei, convertendo-se no soberano da região do Norte, de Israel. Roboão conserva o resto, a parte meridional com a sua capital que é Jerusalém. As contínuas desavenças entre as tribos precipítam o fim do Grande Reino acabando numa guerra civil e 10 tribos do Norte separam-se. Entre Judá e Israel não à paz. Em disputas intermináveis corre o sangue do mesmo povo. A fronteira está sempre em luta, numa guerra contínua entre Roboão e Jeroboão. Somente as tribos de Judá e Benjamin reconhecem Roboão como sucessor de Salomão. As outras dez aceitam como rei Jeroboão. Este acontecimento, conhecido como Cisma, leva à divisão da monarquia em dois reinos: o de Israel e o de Judá. O reino de Israel situa-se a norte, formado pelas dez tribos, com a capital em Samaria. O reino de Judá ao sul, constituído pelas duas tribos restantes, tem a capital em Jerusalém.

 

Ano 925 a.C. - Para os setentrionais, Salomão e sua linhagem são crescentemente vistos como destruidores espirituais, bem como opressores seculares. Daí, quando Salomão morre este ano, os setentrionais recusam seu sucessor, Roboão, uma coroação unida em Jerusalém, e insistem para que ele seja para o norte a Sechem para ser coroado rei deles. Os homens que haviam fugido para o exílio sob Salomão, tais como Jeroboão, regressam e exigem um governo constitucional e em particular, a supressão das levas de trabalho forçado e dos elevados tributos.

 

Ano 923 a.C. - O faraó do Egipto, Scheschonk I, (Sesac) ataca a Palestina, no quinto ano do rei Jeroboão.

 

Ano 920 a.C. - O Faraó Sheshonk I, invade a Palestina e saqueia Jerusalém.

 

Ano 880 a.C. - Na Babilónia, Salmanazar II, foi representado nos templos por admiráveis esculturas, acompanhados por homens com asas.

 

 

Ano 860 a.C. - Assurbanipal III, na Babilónia, assim como Salamanzar, é representado nos templos por admiráveis esculturas, acompanhado por homens com asas.

 

Ano 854 a.C. - Salmanasar III, rei da Assíria, de entre os adversários que combateram na batalha de Qarqar, menciona Ahabbi Sri’lai, (Achab) rei de Israel.

 

Batalha de Qarqar, onde Salmanasar III, em marcha para o sul, enfrenta uma coligação chefiada por Bir-Idri (Ben Hadad II) de Damasco e que reune doze reis, entre os quais os príncipes fenícios e Ahabbu Sirlai, ou seja Achab de Israel. Este último, dispõe de 10 000 soldados e 2 000 carros de guerra.

 

Ano 850 a.C. - O profeta Eliseu fala com “Deus” e é transportado por um turbilhão de vento.

 

Ano 849 a.C. - O homónimo de Joram, filho e sucessor de Josaphat, o Joram, rei de Israel, mantem em relação aos Arameus, a política de Achab, seu pai. Como aliado ou como vassalo toma parte das campanhas que Benhadad II realiza este ano contra Salmanasar III.

Penso: sei lá!

PublicadoPor lazulli às 21:22
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

1000 a.C.

 

 

Ano 974 a.C. Na Palestina, deixa de reinar, David.

Ano 973 a.C. - Começa a reinar em Israel, Salomão, filho mais novo de David.

Ano 972 a.C. - Israel já possui um Exército, uma Administração e um Governo centralizado, à morte de David.

Ano 965 a.C. - Com o início do reinado de Salomão, filho e sucessor do rei David, é assinalado o apogeu da monarquia israelita.
Ano 962 a.C. - Começo do reinado de Psusennes II.

Ano 950 a.C. - O “Senhor” ajuda David nos seus combates.

Ano 945 a.C. - Com a morte de Ramsés XI, chega ao fim a dinastia Tanita e a divisão do Egipto em dois. Psusennes II, é o último rei da XXI dinastia.
Ano 944 a.C. - No Egipto, com a morte de Psusennes II, um general milionário dos mercenários líbios, príncipe de Heracleópolis e de Bubástis, assume sem muitas dificuldades o poder e as prerrogativas faraónicas com o nome de Sesonki I.

Ano 935 a.C. - À morte do grande rei, o Império Salomónico cinde-se em dois; Samaria e Judá. A partir daqui Siquém e Jerusalém opõem-se muitas vezes. Impureza contra pureza. No meio da Palestina passa a existir um grupo étnico (Samaritanos) considerados pelos Judeus muito piores que um estrangeiro. Embora adorem o mesmo Deus, venerem as mesmas Escrituras, pelo menos uma parte e verem em Moisés o legislador supremo, não irão fazer parte do povo de Deus.

Ano 933 a.C. - Salomão, filho de David, reinou em Israel até esta data. A sua estrela é de cinco pontas (Pentagonal).

 

Terça-feira, 12 de Junho de 2007
publicado por lazulli às 17:22
(Retirado da CasaDeCristal)

 

Penso: ... a a tentar tornar o blog visível

PublicadoPor lazulli às 12:12
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos

Explicação Antecipada

(Post Retirado da CasaDeCristal)


Criarei três posts que relatarão acontecimentos históricos acontecidos, ano após ano, por todo o Planeta Terra.


1000 a.C.

1000 d.C.

1000 a 2000 d.C.


Como vejo a história da humanidade como um puzzle gigantesco que por sua vez contém um número indeterminado de outros puzzles que navegam como subgrupos no Todo, confundindo quem realmente quer saber o que aconteceu de facto, no passado, resolvi e entendi que seria melhor (pelo menos para mim) saber passo a passo o que realmente foi acontecendo ao longo dos tempos à humanidade.

Creio que se puder saber o que aconteceu num único ano consigo perceber melhor aquilo que a Historia ainda não me diz por estar escrita de acordo com o lado vencedor em determinada época e também com suposições e deduções em demasia.


Daí, mais ou menos em bruto, registo todos os acontecimentos referentes a um ano que vou encontrando aqui e além tentando assim entender com outros olhos, o desenrolar da vida no nosso mundo, desde que a história começou a ser registada. Faço notar que todos estes acontecimentos retirados de variadíssimas fontes, são apenas aqueles em que a história regista uma afirmação sobre o acontecimento e nunca uma suposição ou mistura de datas de trás para a frente e de frente para trás, como habitualmente acontece. A ideia é separar o trigo do joio. Ex: No ano x, aconteceu isto no mundo inteiro. No ano y, aquilo, etc... No final... (que acho que não vai chegar a existir, devido à escassez de meios, fontes suficientes e também ao desaparecimento de milhares de registos, ao longo da história do mundo) sempre dará para ficar com uma ideia mais concreta do que se conseguir registar recorrendo a todas as fontes e também verificar as contradições que a história, sem querer nos tem dado. É mais um modo de passar o tempo com algo que a mim me satisfaz, que é procurar a verdade escondida nos mais recônditos recantos.


Se alguém que por aqui passe quiser contribuir com algum dado referente a algum acontecimento histórico agradeço porque isto é uma tarefa quase impossível para uma só pessoa. Só agradeço que seja colocada a fonte de onde foi retirada a informação.


Mais tarde colocarei a Bibliografia Referida. 

 

NOTA: Estes três posts não têm Direitos Autorais Pessoais, a não ser o dos seus legítimos autores, que serão colocados à posteriori, daí poderão ser utilizados por quem bem quiser e entender, até porque todas as fontes de onde foram tirados todos os dados, são legais e podem ser livremente consultadas. Só aos autores de todos estes dados, são reconhecidos os seus legítimos direitos.


 

Obrigada

(lazulli)



Penso: aborrecida

PublicadoPor lazulli às 11:42
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos
Quarta-feira, 13 de Junho de 2007

em elaboração

 

Já descobri como se faz!


Ainda em elaboração.


 

A

 

Aqui só se abordará a História do Homem sobre a face da Terra. Este blog complementará o outro. E, só está mais ou menos separado devido ao espaço necessário, para tarefa tão grande. Qualquer ajuda, será recebida com reconhecida gratidão.

Este é um blog de Toda a Gente, porque falará ou pretenderá falar, do Passado que diz respeito a Todos Nós.

Aceitam-se todas as contribuições e sugestões de modo a tornar este Espaço credível, em termos de História.


A Porta estará aberta para quem quiser entrar. A Casa é Sua!


Obrigada

lazulli )

Penso: ... a pensar

PublicadoPor lazulli às 17:11
LinkDoPost | Acrescente/Rectifique | AdicionarAosFavoritos

*UmaPequenaHistória


* Lazulli

* Adicionar

. 6 seguidores

*Procurar

 

*Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

*DadosRecentes

* Do ano 303 ao ano 395 d.c...

* Do ano 69 ao ano 97 (1000...

* Do ano 61 dC ao ano 68 dC...

* Ano 2 d.C (1000 anos de h...

* 1000 a.C (45 a.C a 38 a.C...

* 1000 anos a.C. (70 a.c. ...

* 1000 a.C (87 a.c. a 80 a....

* 1000 a.C (92 a.c. a 88 a....

* 1000 a.C. (134 a 122)

* 1000 a.C. (144 a.c. a 136...

*Arquivos

* Março 2016

* Fevereiro 2010

* Outubro 2009

* Julho 2009

* Fevereiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Julho 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

*tags

* todas as tags

*AcrescentosHistóricos

ANO 147 a.C. ANO 153 a.C.

*PartilharConhecimento

* PartilheConhecimento

*Bibliografias

Os Lusitanos - No contexto Peninsular História de Roma Estrabão, III, 3,7 Polibio, XXXIV

*visitas

contadores
contadores